.
HOME ÍNDICE
br
en
fr
es
sk
www.conhecimento-espiritual.net.br
LINKS CONTATO
Add Bookmark
RSS



















CONHECIMENTO: ESTÓRIAS 

Atuação


Atuação

Muitas vezes, o Homem pensa que seu atuar sobre as outras pessoas ou seu ambiente limita-se à apre- sentação de opiniões próprias que ele, frequentemente, impõe sobre os outros e, se não houver concordância absoluta, ele está pronto para protestar e promover a sua “verda- de”. Entretanto, ao mesmo tempo ele não percebe que com suas ações ele apenas multiplica a raiva e o ódio, agindo em verdade contra seus desejos...

Certa vez, eu precisava de algu- mas cópias. Aproximei-me da pe- quena janela da porta, mas a senhora lá dentro não notou minha presença. Ela estava muito ocupada tirando cópias. Eu não tinha pressa, e decidi esperar. Depois de algum tempo, a senhora me viu e começou a gritar: “Por que você não disse nada? Eu não te vi! Eu não tenho olhos nas costas.”

Então, eu senti uma rajada de vibrações pesadas e quase abri minha boca para agir do mesmo modo que ela, mas... não pude. Algo dentro de mim me parou: “Eu não quero fazer isso.” Aquela senhora provavelmente atendeu outro cliente antes de mim, ele estava com raiva e decidiu desabafar sobre ela, talvez do mesmo modo que alguém fez com ele, e em realidade eu não aspirava ser a próxima vítima nesta corrente.

Eu sorri para ela e disse: “Não tenho pressa. Termine o seu trabalho, eu espero.” A fisionomia dela mudou e ela falou em um tom mais suave: “Você teria que esperar por muito tempo. Tenho muitas cópias a tirar.” Eu sorri novamente para ela, e ela falou ainda mais delicadamente: “Diga-me, o que você precisa?”

“Muito gentil de sua parte. Só duas páginas”, eu falei.

“Sabe... eu tenho ainda muitas cópias para tirar... e meus filhos estão em casa doentes, meu marido...”

Ela falava com confiança, que havia de repente surgido entre nós e, a cada palavra que dizia, parecia que se dispersava aquela energia escura e pesada, seu arredor se purificava. Eu apenas escutava, sem nenhuma reação. Eu ouvia em profunda concentração, vivenciando dentro de mim aquilo que ela falava, como se fossem meus próprios problemas. Mas eu não pensei sobre isso, não avaliei, e não experimentei isso emocionalmente.

Quando nos despedimos, aquela senhora irradiava alegria e um lindo sorriso apareceu em seu rosto. Com certeza, ela iluminou os rostos de seus outros clientes.


Facebook
Twitter
LinkedIn
MySpace


Acima Índice Home
desde 1/1/2007 3816487 visitantes